Busquei orientação para aprimorar as minhas competências

O CEO do escritório Opice Blum, Bruno, Abrusio e Vainzof Advogados, Renato Opice Blum, de 42 anos, já participou de programa de coaching 25 vezes no período de dois anos.
Blum começou a se interessar pelo assunto quando acreditou ser importante buscar soluções para a retenção de talentos e melhorar a gestão da equipe.
‘Busquei orientação profissional para aprimorar as minhas competências, como os próprios coachs gostam de dizer. A profissional que contratei me fez perceber que eu não era tão bom em alguns aspectos como imaginava’, comenta.
Para o CEO, a técnica melhorou a sua performance como gestor de forma bastante significativa. ‘Graças ao coaching tive mais tranquilidade para gerir melhor o escritório e principalmente o meu tempo’, comenta.
O principal resultado, na opinião dele, foi no desenvolvimento de talentos e na convivência dentro do escritório. ‘Aprendi a ser mais humilde e a entender como funciona o outro lado. Realmente hoje eu tenho uma visão de todos os ângulos da empresa. E isso só é possível quando você tem alguém de fora, com uma visão corporativa muito rica, para conduzi-lo’, diz.
Segundo o CEO, todos os sócios e os coordenadores do escritório passaram pelo programa. ‘A maioria não fez mais do que duas vezes. Só eu gostei tanto do resultado que mantive a orientação.’
A coach Waleska Farias avalia como positiva a postura do CEO. ‘O processo de desenvolvimento pessoal e profissional deve ser contínuo. Novos conhecimentos e experiências ajudam a expandir a largura de banda mental das pessoas’, comenta.