Como ser um líder comunicador e engajador

Desde os primórdios da civilização humana, o ato de comunicar é uma prática indispensável à vida em sociedade. Estar em contato ativamente com o outro é o que nos permite trocar experiências e evoluir como indivíduo. A todo instante, estamos intercambiando conhecimento e, por essa razão, que a comunicação se torna tão bela e rica.

Com o avanço da tecnologia no decorrer dos séculos, comunicar tornou-se uma ferramenta essencial para as relações humanas. Vivemos em uma contemporaneidade marcada por um tempo sem fronteiras, em um cenário cada vez mais globalizante, de novos aparatos digitais e de múltiplas possibilidades de interação. Neste novo panorama, é importante pensarmos que ninguém está imune à comunicação. Ela permeia as nossas vidas.

Entretanto, é importante observar que a comunicação não é a mesma para todos. A falta de cuidado com essa habilidade pode gerar barreiras nos relacionamentos e nos mais diferentes aspectos de nossas vidas.

No ambiente corporativo, por exemplo, em funções essencialmente operacionais, a comunicação não exige do indivíduo uma forte capacidade argumentativa, de perceber sutilezas e subjetividades, ou mesmo um poder de convencimento. Já com relação a tarefas de liderança e estratégia, o grau de exigência é diferente.

Ser líder é aceitar e assumir responsabilidades, sobretudo, sobre os eventuais efeitos que a comunicação pode acarretar nos outros. Um líder vive e tem que lidar com diversas situações em seu dia a dia que requer uma maestria para se adaptar rapidamente às situações.

Em um cargo de alto nível de responsabilidade como esse, é necessário o desenvolvimento, de forma bem ampla e eficiente, de várias habilidades, tais como:

  1. Comandar;
  2. Dialogar;
  3. Dar feedback;
  4. Ser diplomático;
  5. Motivar;
  6. Ter paciência;
  7. Ouvir atentamente;
  8. Convencer;
  9. Fazer perguntas;
  10. Inspirar;
  11. Ser assertivo.

Para um líder ser eficiente em variadas situações e conquistar adeptos engajados em suas propostas e nas mudanças que pretende implementar, ele deve desenvolver os seguintes recursos:

  1. Boa postura;
  2. Articulação clara e precisa;
  3. Domínio do assunto;
  4. Atitude positiva;
  5. Bom uso da expressão corporal e facial;
  6. Tom de voz adequado;
  7. Criatividade;
  8. Boa adequação dos gestos;
  9. Uso de metáforas;
  10. Bom vocabulário;
  11. Controle emocional;
  12. Boa observação;
  13. Planejamento e preparação da fala.

Comunicar é uma competência e, como tal, ela pode ser aprendida, desenvolvida e melhorada continuamente. Um bom domínio dessa habilidade torna-se fundamental, sobretudo, quando há muitos concorrentes e poucos recursos disponíveis.

Como forma de instigá-lo a refletir sobre a comunicação, concluo meu texto com três perguntas-chave sobre o tema.

  1. Os sinais de comunicação que você emite são positivos ou negativos?
  2. Tais sinais contribuem para uma boa ou má reputação?
  3. Você está consciente dos seus pontos de melhoria e está trabalhando neles?

Erick Barcelos

CEO da Upgrade Coach, Master Coach Trainer, Filósofo e Prof. de Oratória